quinta-feira, outubro 23, 2008

Phallus maderensis















Por mais de uma vez referi neste meu espaço que nutro uma particular paixão pelo reino dos fungos, contando sempre com o apoio e ajuda da Taninha e do grande amigo Luiz Franquinho, outro apaixonado pelo mundo dos cogumelos.


Numa das actividades da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal do ano passado, mais concretamente no passeio realizado a 6 de Outubro entre o Pico das Pedras e a Cova da Roda, no Concelho de Santana, encontramos um fungo facilmente identificado como sendo do género Phallus, parecendo à primeira vista o fabuloso Phallus Indusiatus, que ainda não foi descrito para a Madeira, mas ao contrário deste, o característico véu não cobria a gleba, estando localizado na base. Este pormenor intrigou-nos, mas pensamos que poderia tratar-se de uma má formação, por isso posteriormente voltamos ao local e então encontramos mais três exemplares, exactamente iguais ao primeiro encontrado.
Então, depois de registado em fotografia, foi colhido um exemplar e entregue ao Prof. Miguel Menezes de Sequeira da Universidade da Madeira, uma das pessoas que nos tem ajudado e dado apoio, que fez o exemplar chegar ao Prof. Francisco Diego de Calonge do Real Jardim Botânico de Madrid, um micólogo com mais de 400 obras publicadas entre livros, artigos e documentos, entre eles a Lista de cogumelos para a Madeira publicada em 2003. Este investigador concluíu que tratava-se de uma espécie que ainda não tinha sido descrita no reino dos fungos, ou seja tratava-se de um cogumelo novo para a ciência. Tendo-o baptizado como Phallus maderensis, descrito e publicado no Boletim da Sociedade Micologica de Madrid nª32 de 2008, nas páginas 101-104.


Claro que para nós é um orgulho, este pequeníssimo contributo para o conhecimento do mundo dos fungos, mas o mais importante que este acontecimento nos proporcionou foi dar-nos mais força e vontade para estudar e aprender a compreender o misterioso mundo dos fungos, embora o aumento das responsabilidades faça ser cada vez mais difícil manter esta paixão por estes pequenos seres vivos fundamentais para a vida na Terra caracterizados por uma aura misteriosa que fá-los aparecerem por todo o lado em todas as condições e com as mais diversas cores e formas, embora sendo ignorados por quase todo o mundo e por vezes até alvo da incúria humana.



1 comentário:

Nádia Jururu disse...

Muitos parabéns. Deve ser maravilhoso descobrir uma coisa ainda não descoberta.
E esses cogumelos comem-se? LOL